Perguntas e respostas!

PORTARIA REMOTA: DÁ CERTO OU NÃO?

PALESTRANTE

TEN. CEL. PM JOSÉ ELIAS DE GODOY

FORMAÇÃO

• Oficial da PMESP, graduado pela Academia de Polícia Militar do Barro Branco – APMBB;
• Bacharel em Direito pela Universidade Bandeirante do Brasil – UNIBAN;
• Curso Superior em Gestão de Segurança Empresarial e Patrimonial pela Universidade Anhembi Morumbi – UAM;
• Pós-Graduado em Planejamento Empresarial pela Universidade São Judas Tadeu – USJT;
• Mestre em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública pelo Centro de Altos Estudos em Segurança – CAES da Polícia Militar do Estado de São Paulo.

ESPECIALIZAÇÕES

• Segurança Física de Instalações e Dignitários pala PMESP;
• Análise de Organização e Métodos pela PMESP;
• Instrutor de Tiro Policial pela PMESP;
• Instrutor de Direção Defensiva pela PMESP;
• Instrutor de Tiro de Defesa pela Federação Paulista de Tiro Prático;
• Técnico de Segurança no Trabalho pelo SENAC, entre outros.

EXPERIÊNCIA ACADÊMICA

• Instrutor de curso do SENAC/SP nas áreas de Segurança Patrimonial e Condominial;
• Instrutor dos cursos de formação e especialização na PMESP;
• Professor da Universidade SECOVI nos cursos ligados a área de Segurança Condominial;
• Palestrante convidado de vários órgãos e instituições ligadas a área de condomínios (SECOVI, EXPOSINDICO, AABIC, FENASEG, PROSINDICO entre outros).

OBRAS PUBLICADAS

MODALIDADES DE ASSALTOS EM CONDOMÍNIOS

Pontual

Assalto de uma até no máximo 03 unidades

Perfil das vítimas

Qualquer tipo de condomínio nas diversas classes
sociais (facilidade de acesso e fuga)

Como agem

Bandidos eventuais que atuam em bandos
menores que invadem os condomínios para
cometerem pequenos delitos (impulsivo e
perigoso)

Arrastão

Assalto a várias unidades, simultaneamente, normalmente
dominando a portaria

Perfil das vítimas

Grande maioria de condomínios de classe alta, com no
máximo 02 torres e com uma única entrada principal

Como agem

Bandidos especializados que atuam em quadrilhas e invadem
os condomínios para cometerem roubos, visando maior
rentabilidade (organizados e preparados)

TRIÂNGULO DA SEGURANÇA EM CONDOMÍNIOS

PORTARIA REMOTA

Trata-se da substituição da portaria presencial por um sistema de portaria remota, onde os agentes abrem e fecham portões e garagens e ficam de olho 24 horas no condomínio por meio de câmeras e internet. Tudo isto através da automatização do condomínio com a instalação de sistemas amarrados por meio de softwares integrados onde é efetuado todo o atendimento ao morador, visitantes e prestadores de serviço como se estivesse presencialmente no prédio. A solução é indicada para condomínios de até 40 apartamentos e uma única entrada de portaria.
Custo médio: de R$ 30.000,00 a R$ 50.000,00 de
implantação e cerca de R$ 6.500,00/mês.

Alguns problemas diários de um condomínio com portaria presencial:

• Basta dar uma buzinada e entrar no condomínio.
• Vacilo na entrada do morador.
• Porteiro libera sem autorização do condômino.
• Falta de controle com os prestadores de serviço.
• Falta de privacidade dentro do condomínio.
• Cochilo do porteiro durante a noite.
• Problema com as redes sociais.
• Porteiro Leva as sacolas no 6º andar.

Taxas do Condomínio

Alguns problemas diários de um condomínio com portaria presencial:

  • Sistemas de biometria: a maioria das empresas trabalha com esse sistema ou mesmo QRCode

  • Abertura e fechamento de portões remoto: automatizador para abrir ou fechar portões para pedestres (eletroimã) ou da garagem à distância através de controles remotos ou tags;

  • Sistema de internet/telefonia com redundância: comunicação entre empresa e condomínio é feita via internet, é fundamental que se tenha Link de dados dedicado;

  • Câmeras IP´s: sistema de câmeras que transmitem imagem e som via internet;

Equipamentos normalmente utilizados:

  • Gerador e Nobreak: necessário haver um pequeno gerador ou nobreak no prédio;

  • Proteção perimetral: cerca elétrica ou sensores, fundamental para manter o perímetro do condomínio seguro;

  • Botão de pânico: ou mesmo um dedo do pânico (biometria) como maneira rápida de acionar a empresa e essa a polícia em caso de emergência a fim de se poder pedir ajuda;

  • Backup das imagens: é fundamental que a empresa guarde as imagens em nuvem.

Algumas Vantagens:

  • Isolamento do agente impossibilitando rendição em caso de assalto e arrastões;

  • Cadastro biométrico de moradores e funcionários domésticos com perfil individual de acesso;

  • Melhorias da segurança através do controle de acesso direcionado;

  • Possibilidade de auditoria: áudio, vídeo, eventos;
  • Menos desgaste do síndico com os condôminos;

  • Drástica redução do custo com os serviços de portaria e segurança (economia entre 40% e 60%);

  • Redução de custos com infraestrutura de apoio aos porteiros – refeitórios, rádios, armários, produtos higiênicos (o custo da portaria de uma torre varia em torno de R$15 mil por mês);

  • Ausência de custos e preocupação com reclamações trabalhistas.

Algumas Desvantagens:

  • Os moradores devem ter ciência da responsabilidade, pois todos são responsáveis pelo condomínio e muitas das atividades dependerão exclusivamente dos condôminos como por exemplo receberem encomendas diretamente na portaria;

  • Um elo geralmente frágil nesse tipo de portaria é o sistema de comunicação uma vez que é pela internet que a central remota se comunica com o condomínio;

  • Não interage com crianças e idosos, pessoas que normalmente necessitam de apoio;

  • Não presta auxílio aos moradores e não fiscaliza a circulação de visitantes;

  •  Existência de empresas amadoras no mercado que estão se aproveitando da oportunidade da falsa sensação de “distância”, para enganar contratantes além de demorarem no atendimento, quando em situações de emergência.

Requisitos mínimos para contratação de uma empresa de portaria remota:

  • Não acredite nos sites, visite a central da empresa com frequência, sem qualquer aviso prévio, e verifique como funciona a central de operação e monitoramento;

  • Não contrate empresas que terceirizam o sistema de monitoramento e operação;

  • A empresa deve estar capacitada para explicar ao síndico e aos moradores o funcionamento do sistema além de como será feita a manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos;
  • Exija da empresa, no mínimo, gerador a combustível e nobreaks industriais;

  • Treinamento dos funcionários: tanto os operadores remotos como o zelador do condomínio devem participar de reciclagens periódicas realizadas pela empresa;

  • Tempo de resposta em emergências ou panes: quando houver algum incidente, como queda de energia, portão quebrado, queda nas conexões de internet, etc., a empresa deve oferecer todo tipo de apoio. Para isso, devem ser fixados prazos de chegada.

PREVENIR

É SEMPRE O MELHOR E MAIS SEGURO
MÉTODO PARA A PROTEÇÃO DE TODOS.

CONDOMÍNIOS

A Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (AABIC), após fazer um levantamento junto à Receita Federal do Estado de São Paulo, identificou a existência de 57.221 condomínios registrados e legalizados no estado de São Paulo. Só no interior e litoral são 30.951 e na capital 24.360.

Segmento sem crise:
– Movimenta, cerca de, R$ 13,2 bilhões/ano

– Cerca de 300.000 funcionários trabalham diretamente nos prédios

RESISTÊNCIA SINDICAL

OBJETIVO

Apresentar aos participantes, os prós e contras sobre o mercado envolvendo
a portaria remota em condomínios residenciais.